O PERIGO DAS IDEIAS PRECONCEBIDAS

II Reis 5.9-14
9 Veio, pois, Naamã com os seus cavalos, e com o seu carro, e parou à porta da casa de Eliseu.
10 Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado.
11 Porém, Naamã muito se indignou, e se foi, dizendo: Eis que eu dizia comigo: Certamente ele sairá, por-se-á em pé, invocará o nome do SENHOR seu Deus, e passará a sua mão sobre o lugar, e restaurará o leproso.
12 Não são porventura Abana e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não me poderia eu lavar neles, e ficar purificado? E voltou-se, e se foi com indignação.
13 Então chegaram-se a ele os seus servos, e lhe falaram, e disseram: Meu pai, se o profeta te dissesse alguma grande coisa, porventura não a farias? Quanto mais, dizendo-te ele: Lava-te, e ficarás purificado.
14 Então desceu, e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou-se como a carne de um menino, e ficou purificado.

O ser humano tem como característica principal formular idéias e pensamentos sobre tudo o que lhe é anunciado, assim sendo, no terreno espiritual também tem acontecido constantemente isso; preconcebemos uma idéia a respeito de algo que nos foi anunciado e vamos tentar provar nossas idéias na pratica.

Isso, muitas vezes tem nos impedido de recebermos grandes coisas do Senhor, pois rejeitamos tudo o que não for de acordo com nossas idéias preconcebidas, sem que tenhamos nenhum conhecimento aprofundado sobre o assunto, veremos a seguir o que aconteceu com Naamã, um grande general Sírio, e poderemos tirar algumas lições para nossas vidas:

IDÉIAS PRECONCEBIDAS DE COMO SERÁ A ATUAÇÃO: do Profeta ou homem de Deus

Muitas vezes nós ouvimos falar de homens usados poderosamente nas mãos de Deus e, imediatamente, preconcebemos de acordo com nossos critérios, o modelo em que o mesmo está atuando, isso pode acarretar muitos problemas pois cada pessoa é um individuo e tem sua própria maneira de agir, isso no ponto de vista de Deus é benéfico, pois Ele utiliza as nossas qualidades pessoais para a Sua atuação no meio de seu povo.

Ao analisarmos a atuação do Apóstolo Pedro e a atuação do Apóstolo Paulo ou ainda a atuação do Apóstolo João e vemos características pessoais distintas entre si, mas todos trabalhando em prol do Reino de Deus. Essas características pessoais levaram Pedro e Paulo a uma discussão ferrenha, pois Paulo não achava a conduta de Pedro correta, pois estando entre os gentios e não havendo Judeus por perto Pedro tinha uma atitude diferente daquela que praticava quando estavam perto dos Judeus, (Gl 2.11-12), também Paulo e Barnabé separaram-se por terem opiniões diferentes sobre João Marcos (At 15.37-39).

Naamã ao ouvir de sua criada que o Homem de Deus (Elizeu) poderia curá-lo imaginou como isso seria feito, criou uma imagem, uma idéia preconcebida do modo que o Profeta agiria para curá-lo. Não era de modo algum absurda a idéia que Naamã criou, pois como ele mesmo disse: Certamente ele sairá, por-se-á em pé, invocará o nome do SENHOR seu Deus, e passará a sua mão sobre o lugar, e restaurará o leproso, este modelo de atuação é o estereotipo que temos por toda a Bíblia e também nos dias atuais, todavia, não foi esta a atitude de Elizeu, pelo contrário, se quer saiu para vê-lo, apenas ordenou o que Naamã devia fazer. Isto he causou revolta e confusão.

Em nossos dias temos visto acontecer o mesmo, pois as pessoas procuram as igrejas para serem abençoadas e já trazem dentro de si o modelo de atuação do Homem de Deus que lhe será benéfico. Uns só sentem que está tudo bem quando são “ungidas com óleo Santo”, outras com a “imposição de mãos”, outras se forem “reveladas”, etc. com isto muitos têm perdido a oportunidade de serem abençoados e crescerem no conhecimento de Deus e na Fé.

Lembro-me de um fato acontecido em minha casa, quando ainda era um menino, meu Pai, Presbítero dirigente da congregação, orava sempre pelos enfermos impondo sobre eles as mãos e a Bíblia; certa vez; tendo ele viajado a serviço da igreja, meu irmão caçula adoeceu, como morávamos num sítio e minha mãe sempre orava primeiro, antes de tomar qualquer decisão quanto à nossa saúde, ele sabedor disto (tinha por volta de três anos de idade), pediu que minha mãe orasse por ele. Ela de pronto orou por ele impondo as mãos, e ele disse a ela: Não valeu sua oração, pois você não usou a Bíblia; eu quero que você ore por mim com a Bíblia na minha cabeça. Minha mãe sorriu e, procurou uma Bíblia, não achando pegou um Hinário (Harpa Cristã) que estava por perto e orou por ele impondo sobre ele a Harpa. Novamente, agora um tanto bravo com a situação ele disse: Isto não vale! Pois se fosse assim meu Pai usaria o violão pra orar e não a Bíblia! É mais ou menos isso o que tem acontecido em nossas igrejas!

Muitos Cristãos zelosos têm preconcebido idéias sobre a atuação do Espírito Santo, tais como: “Só se a pessoa tem uma vida correta diante da sociedade e dos padrões da igreja, que o Espírito Santo poderá usa-la!” Ou “só quando estamos reunidos em um grupo fervoroso é que o Espírito Santo se manifestará”, etc. Todas estas idéias tem suas lógicas e fundamentos para existirem, alguns até bíblicos, mas se analisarmos a atuação do Espírito Santo na vida das pessoas veremos não ser assim tão radical e hermética a maneira de agir do Espírito Santo, pois às vezes se manifesta através dos dons espirituais, línguas, sinais ou mesmo cânticos!

Não podemos criar um protótipo de atuação para o Espírito Santo, pois Ele não é limitado por regras de espaço, tempo ou quaisquer outras regras. Lembre-se que o Espírito foi enviado para a Igreja, com a Função de Santifica-la, mas antes já atua na vida do pecador convencendo-o do pecado, da Justiça e do Juízo (Jo 16.8-11).

Lembro-me que no inicio de meu ministério na Igreja Presbiteriana Renovada, alguns irmãos já batizados no Espírito Santo e que falavam em Línguas Espirituais, atuavam nos encontros espirituais, nas salas de oração, ajudando aqueles que ainda não falavam em línguas a buscarem e receberem o batismo no Espírito Santo, por várias vezes vinham orar comigo, impunham as mãos sobre minha cabeça e me orientavam: “Fale: Glória, gloria, gloria, gloria, – Fale mais rápido…!”

Hoje sabemos que, o Estudo da Palavra de Deus a respeito do batismo no Espírito Santo e a oração da fé são eficazes o suficiente para que o crente tome posse desta benção divina! Sem gritaria, sem êxtases, simplesmente com oração consciente e com fé! Aleluia!

IDÉIAS PRECONCEBIDAS SOBRE O PADRÃO DE VIDA: do Pastor

Muitos estabelecem um padrão que julgam ser o correto para que o pastor atue, caso o pastor recuse a segui-lo ou não comungue das mesmas idéias, o julgam irresponsável ou até mesmo mercenário. Uns acreditam que o pastor deve ser “próspero” no sentido de acumular bens materiais, pois assim está demonstrado que ele é um homem abençoado por Deus! Outros acham que o pastor deve ser um homem “despojado de bens materiais” pois assim está demonstrado que não é um mercenário e não vive para explorar a igreja! Outros acham que o pastor deve estar constantemente visitando as casas dos membros da igreja, pois assim estará cuidando do rebanho! Esquecem que o Pastor é um ser humano e com tal tem limitações e necessidades como qualquer outra pessoa! Esquecem de que a mensagem, os estudos bíblicos exigem preparação e esta preparação exige tempo de qualidade. Se quisermos ter púlpitos fortes, precisamos dar tempo para que nossos pastores estudem, preparem as mensagens e os estudos, tempo para que eles possam estar em comunhão íntima com Deus, para trazerem a mensagem de Deus para a IGREJA!

Certa vez um colega contou-nos numa reunião do Presbitério que certo dia sua filhinha ficou adoentada e febril, como sua esposa teria que cuidar da mesma durante todo o dia seguinte pois o mesmo tinha compromissos agendados, combinou com sua esposa que cuidaria da criança durante a noite, para que a esposa descansasse, passou toda a noite acordado olhando e atendendo a criança, ao amanhecer, por volta das 7horas, sua esposa acordou e, como o primeiro compromisso do mesmo era para as 10horas, decidiu deitar-se e dormir um pouco. Às 9horas chegou um presbítero da Igreja e procurou pelo pastor, a esposa do pastor disse: “Espere um pouco, ele está deitado, vou chamá-lo!” o presbítero esperou e quando o pastor o atendeu disparou: “Se eu soubesse que você levanta tão tarde, teria vindo depois do almoço!” Meu colega disse que naquele momento teve desejo de abandonar o ministério, abandonar a Igreja e, maior ainda foi o desejo de dar um soco no presbítero, que sem ao menos conhecer o motivo pelo qual estava deitado às 9horas da manhã já o acusou de dorminhoco e preguiçoso!

IDÉIAS PRECONCEBIDAS SOBRE O PADRÃO DE VIDA: daquele que é usado por Deus em profecia

É comum vermos irmãos que dizem: “Profecia é coisa séria! Não é dada a qualquer um, por isso eu examino a vida do profeta antes de crer na profecia!” muito bonito e aparentemente correto, mas isto é uma idéia preconcebida, pois na verdade ele criou um protótipo de vida para o profeta e caso a conduta daquele que entregou a mensagem profética não se enquadre em seu estereotipo, ele sumariamente rejeita a profecia e, até mesmo procura desacreditar aquele irmão! Concordo plenamente que a profecia deve ser julgada, é isso que a Bíblia diz (I Co 14.29; I Jo 4.1), todavia, o que deve ser julgado não é a “vida do profeta”, mas a profecia que foi proferia e o espírito que a proferiu, ou seja, a profecia e sua origem é o que deve ser julgado.

Podemos e devemos examinar as profecias à luz da Bíblia, pois ela é o padrão divino para a atuação do Espírito Santo no meio de seu povo. Caso a profecia esteja em acordo com a Palavra, aceitamos, caso esteja em desacordo, rejeitamos, simples assim! A aparência externa de um ser humano é enganosa aos nossos olhos, devemos entender aquilo que Deus disse a Samuel: “Deus não vê como o homem vê, pois o homem vê o exterior, mas Deus, vê o Coração!” (I Sm 16.7). Leia I Samuel 19.12-24 e verá que a conduta do ser humano não é padrão pra se julgar profecia!

Durante toda minha vida tenho visto muitos cristãos que estabeleceram padrões de santidade para a Igreja, eles julgam a igreja pela aparência externa, isto tem causado sérios danos aos obreiros vocacionados por Deus, pois até mesmo líderes conhecidos e famosos, preestabelecem padrões morais e espirituais para a igreja, assumindo assim o lugar do Espírito Santo na Santificação das Vidas.

Muito se tem falado sobre santidade e pouco se tem buscado a verdadeira santificação! Quase nada se sabe sobre santificação, pelo que tenho ouvido durante anos santificação é aparência externa como: cabelos longos para as mulheres, roupas comportadas e sóbrias para os homens e mulheres, terem cabelos curtos para os homens e, assim por diante, uso e costume, ascetismo religioso são apresentados como resultados da santificação. Concordo que frutos externos serão vistos nas vidas das pessoas que procuram viver em santificação, mas a Bíblia ensina que em primeiro lugar santificação significa ser separado para o uso de Deus, isto é santificar-se, estar pronto para agir em favor do Reino de Deus, estar pronto para apresentar em sua vida qualidades que Cristo ensinou e viveu, estar pronto para se necessário morrer por amor ao evangelho e, isso só o Espírito Santo pode produzir na vida do ser humano. Depois desta tomada de posição vemos uma segunda fase da santificação que é ser transformado por Deus, ora, se quem transforma o pecador é o Espírito Santo, como poderei eu determinar até que ponto uma pessoa é transformada “Pelo fruto se conhece a árvore!” bonita e sabia palavra, pois foi Jesus quem ensinou isto, mas dentro do contexto, não significa o exterior, o que a pessoa usa ou deixa de usar, mas sim como a pessoa procede, o que ela faz! O Próprio Jesus disse que o que contamina o homem não é o que entra em sua boca, mas o que sai. O que ele disse foi: as atitudes, as ações, as palavras saem de dentro, do coração e, quando o coração está contaminado, não importa o exterior o que vai sair de dentro será podridão! Mas se o coração está limpo as atitudes, as ações, as palavras serão limpas!

Aprendemos com Jesus que santificação não é apenas mudar o modo de se vestir ou como cortar o cabelo ou barba, mas sim mudar as atitudes, a prática! O que mostra o quanto já fomos transformado é o que fazemos e o que falamos, não o que usamos ou parecemos!

CONCLUINDO

O Ser humano é um individuo, ou seja, singular, único, porém fundamentalmente social, ou seja, criado para viver em grupos sociais, todavia, sem perder a sua característica própria e sua capacidade de pensamento. Corremos sempre o risco das idéias preconcebidas tornarem-se padrões de vida e santidade pessoal. Se a Lei dada por Deus a Moisés, não conseguiu salvar a ninguém, foi exatamente por este motivo, ela estabelecia regras e padrões de vida para que pudessem os homens terem comunhão com Deus e ninguém conseguiu cumpri-los, porque a Lei é Santa e Pura, tal qual o Senhor que a ditou, porém, o homem é pecador e corrupto por conseqüência da queda de Adão, o representante da humanidade no primeiro pacto, por essa razão, Deus estabeleceu um novo pacto com o homem, através de Jesus Cristo, que reuniu-nos em seu aprisco e pela operação diuturna, continua, eficaz do Espírito Santo nos purifica, transforma e conforma de glória em gloria com a pessoa de Cristo!

Olhemos para o exemplo vitorioso de Naamã, que derrotando sua idéia preconcebida sobre a maneira pela qual Elizeu operaria o milagre, mergulhou sete vezes no Jordão e saiu completamente restaurado, ou melhor, como a Bíblia diz, com a pele como a de uma criança recém nascida (II Rs 5.17)!

Deixemos de lado nossas idéias preconcebidas, olhemos para a Palavra de Deus, coloquemos em pratica seus ensinos e como Deus disse a Josué, faremos prosperar nosso caminho e seremos bem sucedidos (Js 1.8)!

Pr Coura

Anúncios