Solidariedade com Missionário

Amados, a Palavra de Deus nos alerta a sermos solidários, na verdade o que a Palavra nos ensina mesmo é sermos empáticos, sofrermos a dores de nossos irmãos, no identificarmos com eles em sua luta, enfermidade, alegria, sucesso, etc; o Apóstolo Paulo nos diz: “Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé”. –  Gl 6.7-10

O Próprio Jesus nos contou a parábola do Bom Samaritano, nos ensinando como devemos tratar o nosso próximo.

Sabemos que missões é uma ordem do Senhor Jesus para a Igreja, sabemos que missões é o que dá significado a Igreja, mas infelizmente, missões não tem sido prioridade na maioria das igrejas (escrevo Igreja com “maíscula” para o CORPO DE CRISTO e igreja com “minuscula” para DENOMINAÇÕES), temos visto tantos chamados e comissionados pelo Senhor para alcançar povos ainda não alcançados pelo evangelho que retornam dos campos missionários por falta de apoio da igreja, muitos voltam doentes, debilitados por doenças que haviam naquela nação e que não existe entre nós, outros estressados, ficam como que soldados que voltam da guerra, feridos e desprezados pela sociedade, não conseguem mais se inserir na mesma, pois perdeu sua identidade com ela e agora é como um estrangeiro em sua própria pátria, assim estão muitos missionários que retornaram de seus campos, não pertencem mais a igreja, não tem lugar pra eles, pensam diferente, veem as coisas de modo diferente, se tornaram personas non gratas na igreja, estrangeiro em sua terra!

Mas quando eles partiram, houve festa, alegria, Línguas Espirituais, Profecias, retetés e outras manifestações de alegria por um obreiro obediente ao chamado estar partindo! – Aleluia! – Vá nesta tua força, que o Senhor é contigo Varão valoroso! é o que escutamos nestas festas, o compromisso da igreja em sustentar com orações e financeiramente, é lembrado, levanta-se uma oferta especial, dá-se presente de despedida e o Obreiro é enviado. PRONTO, somos uma igreja enviadora, estamos fazendo missões…

Então o que aconteceu? onde foi que perdemos o propósito? porque aquele que enviamos debaixo de tantas bençãos e promessas de apoio, volta ferido e sem consolo?

Só uma coisa explica isto tudo: Falta de Solidariedade, Falta de Empatia, Falta de Amor ao Proximo. todas estas palavras são sinônimas, querem dizer a mesma coisa, com uma enfase a mais, mas sempre a mesma coisa, deixamos de ser cumpridores da Palavra! Quantas igrejas prometem que vão enviar fielmente recursos para o Obreio, mas quando vem a primeira luta, o primeiro a ser sacrificado é o Obreiro, que está as vezes a milhares de kilometros de distância, não pode se defender diante da liderança, estão longe dos olhos do povo e, esquecido, sem dinheiro, as vezes doente, o missionário clama por socorro e na primeira oportunidade volta! QUE HOUVE? faltou seguir as palavras de Jesus! Agora pergunto, como podemos continuar fazendo as mesmas coisas que antes, louvando, cantando, pregando, orando, falando em línguas, profetizando, retetezando, etc e tal, se somos desobedientes a Jesus? será que estamos certos em não levar em conta nossa propria palavra quando dizemos: –  Vai que estamos na retaguarda te cobrindo e cuidando?

Bem, a finalidade deste artigo não é exaurir o tema, mas apenas apresentá-lo como introdução ao pedido de solidariedade que se segue:

Nós da MISPA – Missão Priscila e Áquila, temos o Projeto Brasil Trancultural – Missões Indígenas e dentro deste projeto temos um projeto para alcançarmos uma Tribo ainda não Alcançada e quase totalmente isolada (não podemos dar maiores informações por prudência, evitando uma intervenção da FUNAI, contra nosso projeto), iniciamos o mesmo em 2009 e agora estamos prestes a entrarmos na Aldeia principal desta Tribo, está a frente deste projeto o casal de Missionários Eduardo e Elenil (parece nome de Dupla Sertaneja, bem de certo modo é, hehehe), dois abnegados servos do Altíssimo nesta causa, ele, professor universitário, ela enfermeira, deixaram tudo, (a Miss. Nil foi funcionária Pública concursada por muitos anos) e, foram para o campo, nestes dois anos preparatórios, estiveram na Base da JOCUM em Porto Velho-RO, onde lecionaram para indígenas, prestaram serviços de assistencia social aos ribeirinhos e mantendo o foco na preparação para alcançarmos a TRIBO ALVO, mantiveram contatos com várias etnias na Amazônia legal, num destes contatos foram convidados pelos PARECIS a pastorea-los, havia uma igreja que fora abandonada pelos primeiros missionários deixando alguns irmãos sem assistência, assumiram mais esta responsabilidade e o trabalho está florecendo, apesar das dificuldades financeiras e estruturais, mas esta seguindo em frente, neste último semestre depois de mudarem da Base da JOCUM de Porto Velho-RO para a cidade de Comodoro-MT, onde estabeleceram uma “Casa de Apoio ao Indígena” e pela seriedade e carinho demonstrados no trato missionários, foram convidados a assumir mais uma etnia, desta feita os NAMBIQUARAS, que também estavam perdendo missionário responsável pela igreja, mesmo com todas as limitações estruturais e financeira, não mediram esforços e no final de semana passada (06 e 07 de novembro de 2010), organizaram a Igreja Nambiquara, assumindo o compromisso de pastoreá-los, discipulá-los e treinar liderança para a Igreja, aumentou o serviço, aumentou as responsabilidades, aumentaram-se as despesas, bem, agora é hora da empatia e da solidariedade, vamos ajuda-los? vamos investir neste ministério profícuo e abençoado ou vamos deixa-los à revelia do destino, para depois o vermos feridos, estressados, magoados, doentes e desanimados pelos cantos da igreja que já não os receberá por que deixaram de pertencer a ela, agora são apatridas, nem indios, nem brancos!

Em meio a todo este trabalho o casal vem enfrento problemas com a saúde da Missionária Elenil Maria Gomes, no final do ano passado ela sofreu um AVC (acidente vascular celebral), tratou-se com as limitações financeiras que possuíam e a ajuda da MISPA e algumas igrejas, mas agora nos ultimos meses a Missionária Elenil vem apresentando problemas no coração, pressão alta e todas as limitações de uma pessoa que enfrenta problemas cardíacos, mais uma vez é hora de solidariedade, mais uma vez é hora de empatia, mais uma vez é hora de amor ao próximo, qual será a nossa resposta?

Precisamos de você amado leitor, precisamos da Igreja (com “I” maiúsculo), pois os exames e tratamento é caro, fora da realidade do casal de missionários, por isso apelamos para o sentimento mais nobre que Jesus nos ensinou: Amai ao próximo como a ti mesmo! Envie-nos uma ajuda financeira para o casal, faça um deposito na conta: BRADESCO – AG 004 – C/C 66.157-0, em nome da MISPA, pois esta é a conta do Projeto Indígena e os recursos desta conta são usados no trabalho indígena exclusivamente!, envie-nos o seu endereço eletronico ou de correio e o manteremos informados, aqui no blog também teremos notícias sobre o andamento do tratamento da Missionária Elenil.

Estou certo que podemos contar com a IGREJA do senhor Jesus espalhada por este grande Brasil e pelo mundo, por isso louvamos ao Senhor pela sua vida!

Em Cristo nosso modelo de Compaixão

Pr Paulo Coura

Supervisor de Missões Indígenas da MISPA

 

Anúncios