Perdão, o segredo de uma vida feliz!

 

Todo ser huPaulo sem funtomano deseja ser feliz de verdade!

Neste mundo em que vivemos a grande maioria da humanidade não é feliz, apenas vivem momentos de felicidade, assim cantou na década de 1980 o cantor popular: Felicidade não existe, o que existe na vida são momentos felizes! Isto tem sido uma realidade terrível!

Qual o segredo da felicidade verdadeira?

Certa vez Jesus contou uma história sobre perdão que é um ensino maravilhoso sobre a felicidade, ele disse que havia um Rei que um de seus empregados lhe devia a vultosa quantia de 10.000 talentos, sendo que um talento é aproximadamente o salário de um ano de um trabalhador comum, estando o salário mínimo atualmente em R$ 622,00, este homem lhe devia cerca de R$ 74.640.000,00 (setenta e quatro milhões e seiscentos e quarenta mil Reais)! Certo dia este Rei resolveu cobrar de seu empregado a quantia devida e como o empregado não tinha com o que pagar, ordenou que sua esposa e filhos fossem vendidos para que a dívida fosse paga, por incrível que possa parecer o devedor pediu um tempo, pois, iria trabalhar juntar o dinheiro e pagar a conta devida! Não tinha nenhum senso de valor este empregado, então, o patrão se apiedou dele e lhe perdoou toda sua dívida mandando-o para casa!

Ao sair da presença do Rei este homem encontrou um companheiro seu que lhe devia 100 denários, sendo que um denário é o salário de um dia de serviço, hoje por volta de R$ 21,00, a dívida, portanto, era de R$ 2.100,00 (dois mil e cem Reais), o homem cobrou seu companheiro devedor que lhe pediu um prolongamento do prazo que iria pagar o que devia, mas este homem não lhe deu prazo algum, pelo contrário, mandou que aprisionassem o devedor até que a dívida fosse paga.

Alguém contou ao Rei o que havia acontecido e este mandou chamar o homem que havia perdoado para uma conversa decisiva, disse-lhe: Servo malvado perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste; não devias tu também ter compaixão do teu companheiro, assim como eu tive compaixão de ti? (Mt 18.32,33) e, irado com a atitude daquele homem, entregou-lhe nas mãos de torturadores até que pagasse toda a dívida!

Jesus encerra a história dizendo: “Assim vos fará meu Pai Celestial, se de coração não perdoardes, cada um a seu irmão!” (Mt 18.35)

O que Jesus está dizendo é que Deus perdoou ao homem uma dívida impagável, pois por si mesmo jamais o homem conseguiria pagar o preço de sua dívida para com Deus! Sim, o decreto divino é: Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá! (Ez 18.4) Mas Deus ao enviar seu Filho unigênito para assumir a culpa do homem e pagar o preço de sua vida, não só retira a culpa do homem, como também satisfaz a justiça, condenando o pecado na carne, ou seja, no corpo de Cristo!

Ao nascido de novo, aquele que foi perdoado, a ordem divina é perdoar a todos e a tudo, não só uma ou sete vezes, mas setenta vezes sete (490) vezes ao dia!

Nada do que outro ser humano possa fazer contra o nascido de novo se compara à dívida que lhe foi perdoada! Nos termos da comparação de Jesus a proporção era de 35.543 vezes maior a dívida que o ser humano tinha para com Deus! Na verdade o que Jesus usa são números estratosféricos para simbolizar a impossibilidade de comparação entre uma dívida e outra!

O interessante aqui é que Jesus diz que o não perdoador é entregue nas mãos de torturadores! Realmente isto tem acontecido com pessoas que abrigam mágoas em seu coração. Muitos têm provado o gosto amargo da insatisfação, da derrota, do desespero e alguns, não poucos, tem somatizado suas mágoas transformando-as em doenças incuráveis que os tem levado a morte!

Sempre que falamos de perdoar encontramos uma série de interpretações e objeções lançadas pela pessoa magoada, eis algumas:

1. Ele atingiu uma área impossível de ser reparada!

2. Ele não demonstra arrependimento!

3. Como vou perdoar e deixar que passe em branco, sem punição o que ele fez!

4. Eu não sinto desejo de Perdoar!

5. Vou orar e pedir a Deus que me dê um sentimento de perdão a respeito desta pessoa! Etc.

O grande problema aqui é que não entendemos o que é perdoar e ainda modificamos as palavras de Jesus de uma ordem absoluta, para uma possibilidade condicional! Aqui o magoado se torna senhor daquele que o feriu!

A definição de perdão é: Remissão, absolvição, graça, portanto, perdoar – retirar a culpa!

Muitos pensam que perdoar é esquecer, outros pensam que perdoar e deixar pra lá, e assim por diante, a ferida é negada e posta de lado, mas quando algo ou alguma atitude do ofensor toca a ferida ela está lá mais doída do que nunca!

Como vimos perdoar é retirar a culpa, não é apenas deixar pra lá, é julgar o fato, é reconhecer a realidade da ferida e identificar o causador da mesma, mas, depois de tudo isto é dizer: Eu te perdoo e, a partir deste momento você não tem mais culpa desta ferida, sua culpa foi remida, foi paga e você se tornou inimputável, ou seja, sem culpa nenhuma!

Para perdoar não é necessário se ter um sentimento de perdão, mas sim tomar a decisão consciente e firme de retirar a culpa do ofensor!

Na história que Jesus contou o homem que foi perdoado não perdoou e isto fez com que o perdoador voltasse atrás e o condenasse a sofrer nas mãos dos torturadores, isto é uma verdade constante na humanidade!

Se quisermos viver uma vida feliz e sem mágoas, precisamos colocar em prática a ordem divina de perdoar a tudo e a todos, pois assim seremos livres para prosseguir a nossa caminhada sem peso ou amarras ao passado!

É maravilhoso o conselho do escritor aos Hebreus: tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem; (Hb 12.15).

Pr. Paulo Coura

Pastor da IPR/Anastácio-MS

Anúncios