Era uma simples menina, mas fez a diferença ….

a. Pr coura da ipranaSempre que lemos a história da cura de Naamã o general Sírio, ficamos deslumbrados com os acontecimentos narrados: Um Grande Conquistador que está sendo derrotado pela lepra; uma carta enviada ao Rei de Israel pedindo a cura de Naamã; o modo que Elizeu trata Naamã, considerando-o como um simples doente; O pensamento de Naamã de como o Profeta o Curaria; o conselho dos acompanhantes de Naamã que o levou a mergulhar no Rio Jordão e ser curado e por fim a triste e horrenda atitude de Geazi tentando lucrar com a situação, sendo castigado por isso!

Realmente temos nesta história personagens de destaque e maravilhosas manifestações do poder de Deus, todavia, a meu ver a GRANDE FIGURA desta história passa despercebida para a maioria dos leitores: A MENINA ESCRAVA DA ESPOSA DE NAAMÃ!

A Síria vinha impondo derrotas às nações circunvizinhas e entre elas Israel tinha sido também atacada e num destes ataques levaram cativa uma menina, não sabemos a idade dela, mas nos parece que era uma adolescente. Esta menina foi entregue à mulher de Naamã, como sua escrava, e, quando viu a situação terrível em que se encontrava aquela casa ela deu um testemunho maravilhoso de sua fé em Yhaveh: Oxalá que o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria! Pois este o curaria da sua lepra.” Aqui vemos uma pessoa diferenciada, apenas uma menina, mas com um sentimento completamente diferente da maioria dos seres humanos.

Oxalá: é uma expressão que denota o desejo, a esperança, mas acima de tudo denota o sentimento de perdão e não vingança que havia no coração desta menina. A maioria de nós se estivesse em seu lugar, ficaria feliz por ver a situação trágica, pois a lepra era incurável naquele momento! Diríamos: isto é um castigo de Yhaveh pela maldade perpetuada contra seu povo!” “É a mão de Deus tomando vingança!” etc. Mas ela não pensou assim, pelo contrário desejava que seu escravizador estivesse perante o Profeta de Deus para ser curado, e muito mais que isto demonstra a certeza da cura, pois diz: ”se estivesse diante do profeta, ele o curaria!” Sabemos o que aconteceu na sequencia: o grande milagre da cura de Naamã, mas nada teria acontecido se ela, a menina escrava e sem nome não tivesse testemunhado do poder de Deus que se manifestava através do profeta!

Tiro algumas lições desta situação:

1º – A circunstância pode ser ruim, mas eu devo continuar a Crer em Deus!

Muitas vezes quando a circunstância se torna adversa, o que fazemos é lamentar e desanimar, pois, parece que Deus não quer resolver o problema ou não é capaz, sim nos parece que o que está acontecendo está acima de todas as possibilidades!

O Verdadeiro Crente mostra a sua fé na hora da adversidade, aliás, só na adversidade ou quando Deus parece silenciar é que nossa fé se torna evidente a nós mesmos e aos que nos cercam!

Perseverança isto é o que mais precisamos exercitar! – Rm 8.38-39

2º – O Testemunho de fé em Deus, mesmo em meio a uma crise pessoal, pode levar outros a conhecerem ao Deus Verdadeiro!

Vemos hoje em dia as pessoas correrem atrás de soluções imediatas e de acordo com seus princípios. Se a circunstância não muda, corre-se logo para outra igreja, outro profeta, pois, Deus só é glorificado quando o meu problema é resolvido!

Sequer pensamos que Deus pode usar nossa adversidade para falar a alguém que nos está observando. A firmeza de propósito e a segurança de que Deus está no controle de tudo, mostra aos que nos rodeiam que nossa fé é não passageira ou fútil e isto glorifica a Deus tanto ou mais que a solução imediata da circunstância adversa! Rm 8.28

3º – Por ter a vida de Deus em mim, mesmo o meu opressor deve ser amado e ajudado!

Este foi o ensinamento que Jesus veio trazer (Mt 5.43-44). Este deve ser o meu proceder, pois, Jesus disse: “Mas a vós que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, Amai, porém a vossos inimigos, fazei bem e emprestai, nunca desanimado; e grande será a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os integrantes e maus. (Lc 6.27, 35)

Concluindo, ainda que as circunstâncias fossem ruins para a menina, ainda que estivesse longe de seus pais, sua casa e sua pátria, ela continuava a ser fiel ao seu Deus e em propagar o poder de seu Deus. Aqui temos uma missionária mirim, alguém ainda na infância ou adolescência que esta em terra alheia, mas fala de Deus! Aprendemos que devemos aproveitar todas as oportunidades para falar do poder de nosso Deus, pois, Ele usando as circunstâncias que estamos vivendo pode abençoar outros e leva-los ao conhecimento da Verdade!

Que todos nós façamos como esta menina, que incognitamente, sem aparecer muito, fez o maior bem que Naamã podia desejar, receber a cura através do poder de Deus!

Pr. Paulo Coura

Anúncios