Pobre de espírito? Eu?

Estou meditando nestes dias no Sermão do Monte registrado em Mateus 5-7 e logo de início já me deparo com uma frase dita por Jesus que assusta a maioria dos iniciantes na leitura do evangelho que tenha sido influenciado a isto por ter conhecido a Palavra de Deus através dos pregadores da prosperidade.

Jesus inicia seu sermão com uma afirmação perturbadora: “Bem aventurados (felizes) os pobres de espírito; pois deles é o reino dos Céus!” estas palavras tem uma profundidade muito maior do que aparenta em uma leitura rápida e superficial.

A definição do Dicionário Aurélio online de Pobre é: adj. Desprovido ou mal provido do necessário. (Antôn.: provido, afortunado, rico.) / Estéril, que produz pouco. / Mau em seu gênero: um orador pobre. / Desgraçado, que inspira piedade: um pobre homem. (Neste caso, antepõe-se ao substantivo.) / &151; s.m. e s.f. Pessoa que vive em estado de necessidade. E é sempre isso que nos vem a mente quando se lê ou se ouve a palavra pobre: alguém que necessita de recursos para viver! Assim muitos afirmam que a pobreza pode ser considerada uma benção e que a falta de condições mínimas de sobrevivência deve ser considerada condição “sine qua non” para uma vida espiritual verdadeira.

Mas, Jesus está falando de algo muito mais profundo, está falando de autossuficiência, está falando de humildade e dependência de Deus.

A “infopédia.pt” define pobre de espírito da seguinte maneira: “pessoa simples, de boa-fé, sem intenções reservadas; pessoa sem espírito de apego às coisas materiais”. Podemos acrescer a esta definição mais: humilde, dependente (não autossuficiente), não narcisista, não hedonista, etc. é deste pobre que Jesus está falando, o homem ou mulher que é vazio de arrogância, autossuficiência, orgulho, que reconhece sua dependência de Deus.

O evangelho que ouvimos hoje em sua maioria prega exatamente o contrário, pois ensina que a aceitação por Deus resulta em prosperidade financeira e que esta prosperidade deve ser “mostrada” para todas pessoas, pois assim o Nome de Jesus será exaltado, porque ao ver a prosperidade do fiel, o não fiel entenderá a necessidade de estar com Jesus e se renderá a Ele.

Por isso, quando vamos a muitas igrejas, o que vemos é um desfile de roupas de grife e caras, mulheres muito bem maquiadas, joias, etc. Nada disto é proibido no reino de Deus, nada disto descredencia a pessoa de ter um relacionamento íntimo com Deus, mas, não é isso que a faz abençoada, não é isso que a faz aprovada por Deus.

O que nos aprova diante de Deus e isso foi ensinado por Jesus é sermos pessoas que reconhecemos nossa dependência de Deus, não somos orgulhosos e sim humildes e acima de tudo não confiamos em nossas próprias forças ou em nossos próprios recursos para viver.

Sim, eu quero ser pobre de espírito, mas não é fácil! É realmente muito difícil renunciar à glória humana, aos elogios e muito mais difícil ainda é descer um degrau e considerar o meu próximo como superior a mim, mas este é o mandado divino, então eu oro sempre: Senhor! Ajuda-me a ser pobre de espírito, Senhor! Capacita-me através do teu Santo Espírito a viver cada dia mais e mais vazio de mim mesmo e cheio de Ti, quero ser pobre de espírito em todos os momentos!

Pastor Paulo Coura

Anúncios