LIÇÕES DE UMA HISTÓRIA DE SUCESSO!

Pr. Paulo Coura

A Bíblia nos conta várias histórias de homens especiais que foram brilhantes em sua vida e foram usados por Deus para salvar ou abençoar a humanidade, um destes homens é José, filho de Raquel e Jacó.

A História de José é muito conhecida do cristão, todavia cada vez que a lemos somos levados a meditar em como Deus é Soberano na história da humanidade e de que independente do que possa pensar o homem, Deus escolhe, prepara e usa seu escolhido para executar a sua obra que sempre visa a restauração da humanidade a se projeto para a mesma.

Para entendermos a José, precisamos voltar um pouco e ver como ele foi concebido. Jacó fugindo de Esaú vai para Harã e ao chegar encontra-se com Raquel, sua prima e, se apaixona por ela, faz um acordo com Labão, o pai de Raquel, trabalha durante sete anos para se casar com ela, mas na noite de núpcias Labão o engana e entrega-lhe a Lia, sua filha mais velha, como esposa, quando Jacó no outro dia vai reclamar eles chegam a um acordo e Jacó trabalha mais sete anos, portanto, 14 anos, para se casar com Raquel. Logo depois dos primeiros dias de casado com Lia, Jacó recebe a Raquel como esposa, ele a ama mais que a Lia e esta se sente posta de lado, mas Deus dá a Lia a fertilidade e esta logo inicia a geração de filhos para Jacó, Raquel percebe que não consegue engravidar e dá a Jacó sua escrava como esposa para que gere filhos pra ela, Lia não fica atrás e dá a Jacó sua escrava para que dê filhos a Jacó, nesta altura dos acontecimentos Jacó já tinha dez filhos. Raquel ainda não havia gerado nenhum filho e sofria muito com isto, Deus se apiedou de Raquel e lhe abriu a madre e ela deu um filho a Jacó e este lhe pôs o nome de JOSÉ, a vida segue, Raquel engravida mais uma vez e ao dar a luz, morre, Jacó coloca o nome de Benjamin neste último filho que gera, ficando com doze (12) filhos homens e uma (1) filha mulher.

José está com 17 anos de idade e é o queridinho do papai, o dedo duro da família, o que entrega ao pai os erros dos irmãos, isso faz com que seus irmãos o odeiem. Certo dia mandado para o campo ver como seus irmãos estavam, José é jogado numa cisterna e depois vendido para uma caravana de Ismaelitas que passavam em direção ao Egito, seus irmãos mancham sua túnica com sangue de bodes e a levam a seu pai dizendo que a encontraram no campo e Jacó reconhecendo a túnica acredita que um animal feroz devorou José.

José é vendido à Potifar, oficial do Faraó, que vendo que tudo o que José punha as mãos prosperava o coloca como seu administrador e tudo passa a prosperar em sua casa. A esposa de Potifar percebe que José é um homem formoso, a Bíblia não detalha quanto tempo José trabalhou para Potifar, assim podemos entender que já haviam passado alguns anos e que o adolescente era agora um jovem em todo esplendor da força e beleza, ela resolve ter um caso com José que a rejeita e, por isso, ao tentar mais uma vez a José ela consegue ficar com a capa dele que foge rejeitando mais uma vez sua proposta, então ela conta a Potifar que José tentou estupra-la e este enfurecido lança José na prisão.

Preso há algum tempo José conquista a confiança do carcereiro que o coloca como seu auxiliar. Por este tempo Faraó se enfurece com seu Copeiro e seu Padeiro e os lança na prisão, o carcereiro entrega a responsabilidade de cuidar dos mesmos a José. Um dia José percebe que o Copeiro e o Padeiro de Faraó estão inquietos e pergunta a eles o que está acontecendo, eles lhes contam os sonhos que tiveram durante a noite e José os interpreta e pede ao Copeiro que se lembre dele quanto estiver fora da prisão.

Faraó sonha algo estranho: Sete vacas gordas e bonitas sobem do rio e em seguida sete vacas magras e feias também sobem do rio e devoram as gordas. Faraó acorda preocupado com o sonho e volta a dormir e sonha novamente, agora de uma haste nascem sete espigas grandes, cheias de grãos e bonitas, em seguida nascem outras sete mirradas e feias que devoram as espigas cheias e bonitas. Ao acordar Faraó manda chamar os sábios e mágicos do Egito para que lhe interprete o sonho, mas nenhum deles consegue, então o Copeiro lembra-se de José e conta a Faraó o que aconteceu quando estava na prisão, ao ouvir que José havia interpretado os sonhos do Copeiro e do Padeiro e que se haviam cumprido as interpretações como ditas, manda chamar José, conta a ele seus sonhos e José os interpreta dizendo que virão sete anos de fartura e muita comida no Egito, mas que em seguida virão outros sete anos só que agora de fome e que os anos de fome devorariam a fartura de modo que nem se lembrariam dos anos de fartura.

José aconselha a Faraó que coloque um homem para gerenciar a produção durante os anos de fartura e estocar alimentos para os anos de fome, assim poderá salvar os Egípcios e de quebra outros povos que vierem ao Egito em busca de alimentos. Faraó chega a conclusão de que o homem indicado para isto era José e o coloca como governador do Egito, segunda pessoa em mando sobre a nação. Ninguém, a não ser Faraó e superior a José no Egito.

José está com trinta (30) anos e se torna um grande estadista, casa-se e tem dois filhos: Manassés, que significa esquecimento, porque agora esqueceu do sofrimento e da casa de seu pai e o outro: Efraim, que significa porção dobrada, dizendo que a benção de Deus em sua vida foi dobrada.

A história continua, mas quero parar por aqui e analisar algumas coisas neste período da história de José.

Aos (30) trinta anos, ainda jovem, porém maduro, todavia muito cedo na vida das pessoas naquela época, José se torna a segunda pessoa da maior nação do mundo na época!

Como um jovem que aos dezessete anos é um almofadinha, dedo duro, bajulado, o queridinho do papai se transforma num estadista de sucesso em apenas 13 anos? O que aconteceu neste tempo que mudou completamente o destino daquele jovem?

Deus escolheu José para um grande projeto! Jacó ao tornar José o seu favorito, fez de José um homem fadado ao fracasso, produziu um racha na família e fez com que os irmãos odiassem a José!

Deus não desistiu de José! Usou o ódio dos irmãos para treinar e forjar o caráter de José de modo a transforma-lo em um grande homem, mas isto foi feito através de lutas e provações tremendas.

A primeira provação que poderia ter destruído a vida de José foi a rejeição de seus irmãos que pensaram em mata-lo e depois o venderam como escravo. Veja isto: de queridinho do papai, de preferido entre os irmãos, José é levado à condição de escravo!

Agora como escravo de Potifar, no Egito, longe da casa de seu pai, sem a segurança do apoio paterno, José é observado por seu dono e este percebe algo diferente acontecendo nas coisas que José faz e cuida. Tudo prospera, tudo vai bem, quando José é o cuidador!

Deus enviou a provação a José, mas não se afastou dele, pelo contrário o abençoou estendendo a benção às coisas que fazia ou cuidava. Potifar põe José como seu administrador e, José tem a primeira experiência como gerente e administrador de bens em abundância.

A segunda provação para José foi a paixão da esposa de Potifar por ele. Fiel aos princípios recebidos ele rejeita a proposta de se tornar amante da sua senhora e faz isso dizendo que não pode agir com traição contra Potifar que o promoveu de escravo a administrador, mas principalmente não trairá ao seu Deus! O resultado foi como sabemos: Cadeia!

Que sina! De queridinho do papai à escravo, de escravo à Administrador, de Administrador à prisioneiro!

Mais uma vez Deus permitiu a prova, a luta, porém mesmo na prisão vemos que Deus não se afasta de José, e logo ele conquista a confiança do Carcereiro que o coloca como seu ajudante e confia a ele uma tarefa muito especial: Cuidar do Copeiro e do Padeiro de Faraó que estão presos! Ao interpretar os sonhos do copeiro e do padeiro, José pavimenta a estrada para o palácio! Todavia é esquecido por mais dois anos, até que Faraó tenha o sonho que vai ser interpretado por José e abrir caminho para que José se torne o GOVERNADOR DO EGITO!

Que sina! De queridinho do papai à escravo, de escravo à Administrador, de Administrador à prisioneiro e de prisioneiro à Governador! Aleluia!

Com esta história aprendo algumas coisas importantes:

(1.) Deus é soberano em suas escolhas! Ele escolhe quem ele quer e para fazer o que ele quer!

(2.) A preferencia paterna por um de seus filhos pode levar a consequências desastrosas para a família!

(3.) Todo escolhido por Deus para uma grande tarefa terá o seu caráter forjado em meio à provas e tentações!

(4.) Deus nunca se ausenta da vida de seu escolhido, mesmo permitindo aparentes fracassos e derrotas, Ele está sempre por perto, cuidando e abençoando!

(5.) Ninguém pode impedir o sucesso do escolhido de Deus, e como disse o Apóstolo Paulo: Tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados pelo seu decreto!

Portanto, meu amado, não desanime e não desista do sonho que Deus te deu. Enfrente todas as lutas e provas com fé e alegria, pois tudo isto só vai te fortalecer e te dar mais firmeza na realização do projeto divino em sua vida!

Anúncios