SUBMISSÃO À AUTORIDADE

Submissão é uma palavra que está em desuso na sociedade brasileira e talvez em todo o mundo. As causas deste desuso são muitas, mas acredito que a maior delas seja o falso entendimento de que todos têm direitos e que estes direitos são absolutos e não relacionados a deveres.

Acreditamos que nossos direitos são superiores aos dos outros e que o que importa mesmo é que o meu direito seja respeitado.

Isto tem invadido as congregações cristãs de modo terrível, pois a anarquia se estabelece e cada um exige seu “direito” e ninguém assume a responsabilidade dos deveres correlatos.

Talvez isto esteja acontecendo pelo abuso de autoridade que sofremos durante anos. Sofremos com pastores semi-deuses que sua palavra era lei e devia ser obedecida a qualquer custo. Sofremos com autoridade civil que cria leis a seu bel prazer sem respeitar a cultura, a cosmovisão e até mesmos os direitos deste povo brasileiro! Isto tem causado uma revolta silenciosa que assola por toda a nação que diante dos absurdos exigidos passam a desrespeitar toda e qualquer autoridade.

O toma-lá-dá-cá tão falado, vivido e criticado na política tem sido por anos a fio uma verdade corrente em nossa nação. Ah! Não são apenas os governos políticos que fazem isso, nas congregações por este Brasil de meu Deus tem acontecido isso com frequência: O membro mais rico, o maior dizimista e ofertante, o mais estudado, o mais amigo do líder, etc.

Como romper com esta pratica que tem causado tanto dano ao povo? Como voltarmos a ser um povo verdadeiramente submisso e abençoado por viver, talvez o maior e mais importante princípio divino?

Acredito que em primeiro lugar devemos restaurar os valores verdadeiros da autoridade, voltar aos princípios da palavra de Deus e entendermos o que é realmente autoridade e como devemos nos relacionar com ela.

Autoridade segundo o dicionário Aurélio online é: s.f. Poder legítimo, direito de mandar: a autoridade das leis, de um pai, de um chefe. / Administração, governo: decisão da autoridade competente. / Ascendência, influência resultante de estima, de pressão moral etc.: ter autoridade sobre alguém. / Opinião abalizada na qual uma pessoa se apoia: a autoridade de Platão. // De plena autoridade, com todo o direito que se tem. // De sua própria autoridade, sem autorização de ninguém. / &151; S.f.pl. Representantes do poder público, altos funcionários: as autoridades civis e militares.

A etimologia da palavra diz que: autoridade vem do Latim auctoritas. Esse substantivo está associado com o verbo augere que significa aumentar, alargar, fazer crescer, fertilizar e fortalecer e o substantivo auctor que significa o autor, causador, aquele que dá origem, fundador da família, da cidade, líder e proponente. As raízes do verbo e do substantivo estão refletidas no significado da Autoridade.

Na Bíblia encontramos o termo grego “exousia” na versão LXX (Septuaginta) do Testamento hebraico e no Novo Testamento. Exousia na Septuaginta significa o direito de executar ação concedida por uma autoridade superior e no Novo Testamento significa: ação absoluta que é própria de Deus, por exemplo, em Mateus 28.18. (S.Sykes (editor) Authority In the Anglican Communion, Toronto, Anglican Book Centre, 1987 p.34).

Chegamos à conclusão de que a Autoridade Soberana e Veraz (verdadeira) é de DEUS. Deus como o autor do universo é a autoridade soberana e verdadeira sobre tudo e todos; as demais autoridades são delegadas por Ele.

Assim temos que a única autoridade inquestionável e que deve ser “obedecida irrestritamente” é a de Deus, Ele é a fonte de onde emana toda autoridade. Como cristãos somos o povo do livro, e temos na Bíblia Sagrada (escrituras) nossa constituição ou nosso livro de Leis e Regras estabelecidas pela autoridade suprema e soberana. Todos e tudo o que não estiver em conformidade com as leis e regras estabelecidas por Deus não devem ser obedecido.

Deus delegou em diversos níveis sua autoridade para os humanos: Governo da Terra, Domínio sobre a “natureza” (animais e plantas terrestres), Governo da vida em sociedade e por fim em Cristo nos deu autoridade no Reino de Deus, sendo assim temos e somos autoridade sobre o reino das trevas. Todavia, a delegação de autoridade não dá ao ser humano o poder de “mando” sobre outro ser humano, pois em maior ou menor grau, ou melhor, em níveis diferentes todo ser humano tem autoridade divina, tanto no reino dos homens (governo da terra, governo da vida em sociedade e domínio sobre a natureza) como no Reino de Deus (comunhão com Deus e domínio sobre o reino das trevas), mas como autoridade delegada cada ser humano deve estar em submissão voluntária à autoridade delegada por Deus a outro ser humano!

Aparece assim a palavra “Submissão” que também é muito mal interpretada entre nós. O dicionário Aurélio online define submissão como: s.f. Ato ou efeito de submeter. / Obediência voluntária; sujeição: submissão perfeita. / Humildade, humilhação, passividade, subserviência: falou com toda a submissão que o caracteriza.

Submeter-se à autoridade delegada, significa obedecer voluntariamente sem que seja preciso que a autoridade delegada se imponha pela força. É antecipar a ordem, sabendo o que devo fazer eu o faço sem que para isto precise que alguém me mande fazer, ou se, por acaso, receber uma ordem de uma autoridade delegada, de bom grado cumpro, pois sei que esta autoridade está apenas representando a autoridade máxima (DEUS).

As coisas se tornam complicadas porque sabemos que ao ouvir o que a serpente dizia e comer da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal (desobedecendo a ordem divina de não comer dela), Adão, o representante de toda a humanidade, caiu de sua posição e com isso corrompeu a natureza humana, por consequência o reino das trevas tem influenciado o governo do reino dos homens. Sabemos então que a autoridade delegada por Deus ao homem para governar o  reino dos homens está sofrendo debaixo de uma influência maligna e que em sua maioria agem em contradição às leis e regras do Criador. Como participantes do reino de Deus, comprados e lavados pelo sangue de Cristo, temos o dever de colocar a obediência à Deus como autoridade soberana e suprema em primeiro lugar, assim toda vez que a autoridade delegada no reino dos homens é contrária às regras e leis divinas, temos o dever de desobedecer ao homem e obedecer a Deus (At. 5.29). Lembrem-se as leis políticas e sociais fazem parte do reino dos homens.

No Reino de Deus, infelizmente muitas vezes a autoridade delegada por Deus aos humanos se corrompe pelas mesmas influências do reino das trevas que o reino dos homens é influenciado. Assim, devemos ser submissos à autoridade delegada no reino de Deus, porém, obediência irrestrita só se deve a Deus. Quando a autoridade delegada no reino de Deus (pastor, presbítero, etc.) se coloca acima ou contra as leis e regras divinas, através de interpretações erradas, orgulho, etc. não precisamos obedece-la.

Do mesmo modo que temos lideres que usurpam autoridade e para si arrogam o poder de mando sobre outras pessoas, temos também liderados que não se submetem de bom grado à um líder que exerça autoridade delegada de modo correto!

Muitos têm um espírito altivo e arrogante não se submetendo a nenhuma autoridade. Quem faz isso está indo contra Deus, pois está rejeitando a delegação que Deus deu a seu delegado!

Quando não se submete à autoridade delegada, não se submete à autoridade delegadora!

Pastor Paulo Coura.

Anúncios